10/02/11

PAULA MARTINS





Entraste sem pedir licença
E sem dar pela tua presença
Possuíste-me de forma leviana
Aproveitaste-te do meu cansaço
E sem pudor ou embaraço
Confrontas-me com força insana

Ai! Saúde que te perdi…
Ainda ontem estavas aqui
E como eu te agradecia
Hoje não te sinto por perto
E com a alma a descoberto
Abraça-me a melancolia

Quem és tu? Que me maltratas
E me vais condenando a mente
Quem és tu? Que me consomes
E insistes em estar presente

Apoderam-se rasgos de dor
Neste calvário tortuoso
Luto com todas as forças
Mas o caminho é escabroso…

Ai! Saúde que te perdi…
Quantas rosas, contigo colhi
E hoje só encontro os espinhos
Restam-me as sementes da esperança
Onde deposito toda a confiança
E vou traçando, novos caminhos…

Ai! Saúde que te perdi…
Não sei o que este monstro faz aqui
E porque não pára de me corroer?
Se é a morte, que me anuncia
Essa, será certa um dia…
Mas não, quando ele entender…



"Homenagem a todos aqueles que de alguma forma
estão a passar ou já passaram por este pesadelo."








"...Sou filha de um oceano por inventar
Nascida nas correntes deste mar
Onde as mensagens flutuam dentro de mim
Ofereço poesia no meu cais
Meu barco é de sentimentos originais
Ancorado neste oceano que nasce em mim."



 


11 comentários:

tere disse...

oi belo poema... bju tere.

manuel fernando disse...

Hola mi buena amiga, pasé por aquí sin apenas hacer ruido para saludarte y también agradecerte tus bonitos comentarios. Precioso y hermoso todo lo que escribes, bonito poema, gracias por compartir. Que pases un buen fin de semana lleno de sensaciones positivas. Un beso desde la distancia de un amigo.

Mario disse...

Mais um maravilhoso poema a engalanar este teu blogue encantador.
Bom fim de semana.

AldaizAzevedo disse...

Olá Céu, a gente acaba ficando mesmo poético com tantas poesias lindas que tem no seu blog. É isso ai amiga! Vamos valorizar nossos poetas maravilhosos, para que o encanto e unidade poética não se acabe nunca. Beijos AldaizAzevedo

Chris disse...

Paula

Foi com enorme emoção que li e reli o que escreveu. Sabendo nós que a emoção é uma degradação espontânea da nossa relação com o mundo e reflecte um sentimento é com o de afectividade que se gerou em mim que escrevo estas linhas de modo bem difícil, como difícil deve ter sido escrever o poema e mais ainda enfrentar a realidade.
Sobre a poesia apenas posso dizer como alguém já o fez melhor que eu, "de tão triste é demasiado bela" mas confesso que desejava que fosse ficção.
O meu agradecimento pela homenagem e o meu encorajamento para uma grande dose de coragem e força de vontade.
Um abraço grande

Chris Morris

Chris disse...

Amiga Céu
Aproveito a ocasião para agradecer a visita ao meu modesto blog e as palavras simpáticas lá deixadas.
Se aquele soneto serve para as suas pretensões pois pode pegar nele quando quiser e a mim só me resta agradecer. No entanto tenho receio que não tenha a qualidade que merece.
Já agora aproveito para dizer que não precisa de autorização para pegar seja o que seja do meu blog.
Não me esqueci de si nem do poema prometido.
Um abraço grande

Chris Morris

Odete Ferreira disse...

Adorei..Obg por dares a conhecer...Quando temos este bem, nem nos lembramos dele! Bjinho

Gitana ♥ disse...

Toc Toc !
Buenas Noches!
Te he dejado un Regalito Gitano en mi blog!
Vé , recógelo!
Te beso ♥

Krol Rice Chacon disse...

Céu, visita meu blog... Tenho um selo lá para você! www.krolrice.blogspot.com
Abraços!

Paula Martins disse...

Amiga, o meu muito obrigada pela publicação no teu blog deste meu poema, a imagem que escolheste faz a leitura exacta daquilo que escrevi e senti.
Beijinhos poeticos
Paula Martins

Anita de Castro disse...

Protagonista de uma poésia de excelensia,onde a saúde é uma prioridade,onde a doença teima em persistir e não pára de corroer , o corpo a alma e o espirito
Paula um beijinho para ti


Céu um ramo de lirios e flores selvagens para adicionares no teu doce lar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...