10/12/10

MARIA VALADAS




Abraço a criança que há em mim
 Liberto- a de qualquer tipo de culpa
 Apago-lhe as dúvidas
 Que não têm fim.

 Da sombra de um desamor
 Faço-a sair daquele torpor.

 O sol brilhará
 As lágrimas desaparecerão
 Como passos gigantescos
 No seu coração.

 A criança que há em mim
 Aprende
 Que os erros cometidos
 São passos gigantes
 Que...
 Só se aprende caindo.




 


Os elogios não me elevam, as criticas não me rebaixam...
sou o que sou e não o que acham, !
 Maria Valadas (Eu)


 



5 comentários:

Maria Valadas disse...

Minha querida Céu,
Que grande surpresa a minha ao clicar no link.
Ainda, com um nó na garganta, digo-te: Muito obrigada.
Resto de boa noite.
Beijinhos.
Maria

Anita de Castro disse...

Roserinho mais uma poetisa mais um conhecimento
Continuo vaguiando teu blog com carinho
Deixo meus lirios do campo
Um beijinho a Maria Valadas

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poetiza que escreve os sentimentos como ninguém.
adoro a Maria valadas, é uma amiga muito querida.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

eEUcomISSO [Tassio Bruno] disse...

oiii ceu!
t achei!!
nossa, q saudade em!

o spaces acbou e nos nos mudanos.
estou no blogdoiml.wordpress.com

oq falar desse lindo poema.
acho q so m resta dizer, q em breve serei assim.

abçs deste seu leitor e amigo,
d tassio!

Maria José Martins Mendes disse...

Lindo querida Maria...
Aquele enorme abraço que em determinados momentos tão bem nos faz!!!
Beijos
Mizé

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...