19/11/10

VLAD FAUSTUS




Como 

Como não ser hoje
O que serei amanha? 

Qual 

Qual de nós foge
E integro resta?

Não será a morte
A primavera eterna? 

Quando 

Permanecer integral,
No decurso, infléxil? 

Até 

Vertigem anil
Anteposta ao padrão;
Entrelaçado volátil,
Útil clarão. 

 Pela 

Frequência pura
Sem coagem.

A rede total no corpo 
D’antena. 

Por 

A orgânica dos fluidos
E os menires telepatas.

Emissões celestes
De recepções térreas. 

Ante 

Com a morte, o corpo
Despolariza; torna-se
Mero acumulador. 

Perante 

O ventre explode,
Os gazes libertam-se;

A alma implode,
O espírito regressa. 

Com 

O deja-vu repete-se
Sucessivamente
Até ao alheamento. 

Que 

Sem calvário 
Não há paraíso;

Sem pagode
Não há inferno. 


A alma em limbo,
O corpo em nimbo
E o espírito zimbro. 


MEDIA VOICE 


Pshiu 

Um pertinaz sussurro
Ao que parece...  

Psst 

Quer pela circunstancia
Quer pelo assunto,
Um tabu que se padece. 

Hei 

A avidez da novidade
E a complacência anil
Em beneplácita acidez. 

Ah 

Se cada um descobrisse
Um mundo, estes pareceriam
o mesmo. 

 Se 

Nada nos distingue
Para alem do excêntrico disfarce. 

Ui

O que diverge entre um
Génio e um néscio sorriso? 

Bah 

O que faz o herói
Ou o covarde? 

Lá 

Não será um bom anfitrião
Hipócrita e um eremita persignado? 

 Outra
  
E a sabedoria estará tão
Díspar da imbecilidade?
   
Vez 

Não será o imberbe saber
Pleno e o douto conhecimento fugaz? 

OMEGA CALICE 

Gluuh
  
A vida resoluta num
Trago...
  
Buah
  
Desde o primeiro sopro

 Uauh 

Num vortex intermédio 

MMH 

Capilares terrestres
Empório sensorial etéreo
  
Minham
  
Corpóreo frenesim celeste
  
Bom

A cúmulo a dor
Para lá do sentir
  
Belo
  
Pólen parabenizado
Polar gizado

 Z
  
O fim dita o reinicio
  
Eros
  
O meio é um fim
  
São  


O inicio é pleno. 


João Matos




 
 
Empírio sextus aparência
triunfus sensoriae privilegium  
solene tertium quid rictus
conduta dispar pulchra linguae
arte subsumpção paradoxos 
eléatas zelo cépticos arca
intuição lógica verbum pura
imediata contraditória ratio
sensível metafísica experiência.




3 comentários:

Maria Valadas disse...

Um prazer e deleite ao ler a poesia que aqui partilhas connosco.
Fico sensibilizada ao ler alguns poetas, já meus conhecidos.

Céu, poeta não é só aquele que escreve... mas todos aqueles que sentem o que se lê.

Bom fim de semana,
Beijos.
Maria

MEU MUNDO FANTASY disse...

BOM FIM DE SEMANA
»»»»»AMIZADE QUERIDA«««««
Sorria com o coração aberto
Para que você possa enche.lo de ,
Amor,esperança e muita fé

FICA NA PAZ DO SENHOR

BEIJOS E ABRAÇOS..
JUDDY

manuel fernando disse...

Hola mi buena amiga, aquí estoy donde me ha traído el corazón, para saludarte y también agradecerte por tus bonitos comentarios que siempre me dejas cuando me visitas.
Bonita poesía y darte las gracias por compartir este hermoso poema escrito por el poeta Joao Matos.
Te deseo un buen fin de semana lleno de sensaciones positivas.
Un beso desde la distancia de tú amigo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...