25/10/10

GLEIDSTON CESAR



 


Como
é débil esse coração de brandura.
Se
anula, machuca e sofre, pela causa
...Incauta.
Se
todos os amores, um dia sofresse

Haveria
menos dor, menos lágrimas.

Mais
sorrisos espontâneos, por haver
Então
respeito pelo próximo.
Foi
nos jardins da minha vida, no cheiro
Das
pétalas, de cada rosa, que aprendi a
Colher a essência suave da vida.







“Ando na luz da minha existência/ E isso me basta”







Gleidston César, através de um enredo aliciante, relata-nos uma história em que vários caminhos se cruzam por acaso,
 em momentos marcantes, mudando, para sempre, o curso das vidas das personagens que os percorrem.

Perdidos entre a multidão, amar, perdoar e ajudar o próximo pode parecer muito difícil, mas os únicos impedimentos são os nossos próprios medos.

É preciso, pois, que ocorra uma revolução interior muitas vezes provocada por uma dor física.

Gustavo, um homem superficial, sem valores e sem amor no coração, viverá uma experiência surpreendentemente marcante que

 o fará renascer e ver, com mais lucidez, tudo o que o rodeia,
 desde o simples pôr-do-sol até ao olhar luminoso da mulher por quem se apaixona.



1 comentário:

Gleidston disse...

Amiga Céu!
Obrigadoooo, mas um sinal de que a minha semana começou muito bem,estou felicíssimo com esta maravilhosa surpresa...sem palavras, obrigado pelo carinho, Bjkss!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...